Header Ads

Últimas Notícias

Etec de Pirassununga transforma máquinas caça-níqueis em computadores para doação


Iniciativa é resultado de parceria para reutilização de materiais eletrônicos; unidade busca acessórios para produzir mais 50 equipamentos
Professores e funcionários da Etec de Pirassununga reaproveitam peças para montagem de computador - © Divulgação/CPS
Com o intuito de ajudar crianças e jovens carentes a acompanhar as aulas on-line durante a quarentena, causada pela pandemia de Covid-19, quatro professores e funcionários da Escola Técnica Estadual (Etec) Tenente Aviador Gustavo Klug, de Pirassununga (SP), estão montando computadores para doação. Os equipamentos são preparados reutilizando peças de caça-níqueis apreendidos pela Polícia Civil e cedidos para a unidade.
A iniciativa é resultado de uma parceria que o Centro Paula Souza (CPS) mantém com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) para reaproveitamento e descarte adequado dos componentes eletrônicos das máquinas. O protótipo foi construído nas últimas duas semanas. Até o momento já foram produzidos sete computadores e outros 20 estão em preparação. A unidade busca doação de acessórios para montar mais 50 equipamentos.


“São extraídos monitor, processador, fonte, memória RAM e placa-mãe. Como os caça-níqueis não contam com gabinete nem disco rígido, nós transformamos um pen-drive em HD e conectamos uma placa de rede Wi-Fi a uma caixa de madeira. A partir daí, instalamos o sistema operacional e os aplicativos básicos”, explica o diretor Luiz Arthur Malta Pereira.
Quem quiser colaborar com o projeto pode contribuir financeiramente ou com peças, como placas de rede sem fio, teclados, mouses, caixas de som e pen-drives acima de 16GB. O contato pode ser feito por e-mail ou WhatsApp.

Projeto “Hora de fazer o bem”

Além da doação de computadores, professores e alunos da Etec promovem outras ações para enfrentar a pandemia dentro de um projeto batizado de “Hora de fazer o bem”. Já foram realizadas campanhas para arrecadação de alimentos, força-tarefa para produção de álcool em gel em laboratório, confecção de máscaras de tecido e protetores faciais de acetato.


Em outra frente, estudantes de diferentes cursos também se mobilizaram e redigiram 400 cartas de conteúdo motivacional destinadas a pacientes internados com a Covid-19. “É um gesto de amor e de solidariedade que pode fazer a diferença para quem está debilitado e busca forças para lutar pela vida”, destaca a professora de língua portuguesa Lúcia Pacheco. (As informações são da Ascom do Centro Paula Souza.)