©shutterstock
O dinheiro pode estar contribuindo para a disseminação do COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que afirmou que o vírus pode permanecer nas cédulas mesmo dias após o contato. Ao jornal The Telegraph, a OMS recomendou que as pessoas evitem tocar no rosto depois de manusear dinheiro.

A OMS orientou que é preciso lavar as mãos após utilizar papel moeda. “Sabemos que o dinheiro muda de mãos com frequência e pode pegar todos os tipos de bactérias e vírus”, afirmou um porta-voz da OMS. “Aconselhamos as pessoas a lavar as mãos depois de manusear as notas e evitar tocar no rosto”.


Em fevereiro, a China anunciou que iria destruir e desinfetar cédulas de hospitais, ônibus e mercados em áreas afetadas pelo coronavírus. A iniciativa é do banco central chinês para conter a propagação do vírus. A medida envolve lavar e desinfetar as cédulas com luz ultravioleta e altas temperaturas, além de armazenar por sete a 14 dias antes de liberá-las para os clientes.

Os vírus tendem a durar mais tempo em superfícies duras como plástico e metal do que em superfícies como o tecido. Os dólares americanos, por exemplo, são uma mistura de papel e tecido, mas fatores como temperatura e umidade afetam o tempo de permanência de um vírus. ( Agência Brasil )