© Getty Images 
Uma mulher de 59 anos,  que esteve  recentemente na Itália, foi atendida no Pronto Atendimento do Hospital da Academia da Força Aérea, nesta quarta-feira (26), com sintomas de gripe, esta sendo investigada pela Vigilância Epidemiológica de Pirassununga. Ela é suspeita de contrair o coronavírus. 



Segundo a nota da Vigilância Epidemiológica, atravéz da imprensa oficial do município, enviada para a redação do Pirassununga ON e do O Movimento, a mulher apresenta sinais e sintomas (calafrios discretos e coriza), o que não é  compatível com a suspeita de doença coronavírus " Covid-19 " ( febre alta, falta de ar e dores musculares)

A mulher está bem e, não necessitou de internação. Ela que se encontra isolada em sua residência, recebeu as orientações de precaução padrão e esta sendo acompanhada, até o resultado dos exames, diz ainda a nota, divulgada pela Vigilância Epidemiológica.

Veja a nota oficial

A Vigilância Epidemiológica de Pirassununga confirma que está INVESTIGANDO
um caso suspeito de coronavírus. Trata-se de uma mulher de 59 anos, a qual foi atendida no Pronto Atendimento do Hospital da Academia da Força Aérea na data de 26/02/2020 com queixa de coriza e calafrios e histórico de retorno recente de viagem para a Itália.

Apesar de não apresentar o quadro característico de febre associado a tosse e esforços respiratórios, foi realizada a notificação do caso em virtude do histórico de viagem para área com transmissão local. 

Por apresentar um bom estado de saúde geral, não
necessitando de internação, a mesma foi devidamente orientada e encontra-se isolada em sua residência, e seguirá em acompanhamento até resolução do caso. 


Foi realizada coleta de amostra para exame e encaminhada ao laboratório de referência.

Ressaltamos a importância da ampla divulgação e adoção de cuidados básicos
para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas,
incluindo o coronavírus:

Indivíduos sem sintomas respiratórios devem:
Evitar aglomerações em espaços fechados;
– Manter distância de pelo menos 1 metro de qualquer indivíduo com sintomas
respiratórios como, tosse, espirros;
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos,
respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar
um desinfetante para as mãos à base de álcool.
– Se tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com cotovelo flexionado ou lenço de
papel, descartar imediatamente após o uso e realizar a higiene das mãos;
– Evitar tocar olhos, boca e nariz;
– Uso de máscara não é necessário, pois não há evidências disponíveis em sua
utilidade para proteger pessoas não doentes.

Indivíduos com sintomas respiratórios devem:
Usar uma máscara e procurar atendimento médico se apresentar febre, tosse e
dificuldade em respirar, o mais rapidamente possível;

O uso de máscaras é uma das medidas de prevenção que limitam a propagação de
doenças respiratórias, incluindo o novo coronavírus. No entanto, o uso de uma máscara isoladamente não é suficiente para fornecer o nível adequado de proteção. Usar máscaras quando não indicado pode causar custos desnecessários e criar uma falsa sensação de segurança, que pode levar a negligenciar outras medidas como a prática de higiene das mãos. Além disso, o uso da máscara incorretamente pode prejudicar sua eficácia na redução de risco de transmissão. ( Equipe de Vigilancia Sanitaria de Pirassununga ) Da redação Toni Oliveira - Pirassununga ON / É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo )

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do Pirassununga On no WhaTsApp (19) 9 8294-5155