Jornal O Movimento

Polícia não vê crime em caso de ultramaratonista encontrada morta

Coletiva de imprensa da Polícia Civil de Leme (Foto: Fabio Rodrigues )

A policia civil considera pouco provável que a morte da ultramaratonista Camila Matte, de 44 anos, tenha sido criminosa. O corpo da atleta foi encontrado na última terça-feira (16), com ferimentos causados por fogo, em Leme, SP. Ela estava desaparecida desde domingo (14).

Ultramaratonista Camilla Matte, encontrada morta em Leme, no interior de São Paulo Reprodução/redes sociais

Em coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje (19), o delegado titular João Pinheiro Neto, de Leme, informou que aguarda o resultado dos laudos do IML para conclusão do inquérito.

Continua após a publicidade

Até o momento, nenhuma hipótese foi descartada, mas a polícia acredita se tratar de um caso de suicídio.

A investigação mostra que a vítima saiu de casa sozinha, na manhã de domingo, e comprou frascos de álcool em um estabelecimento próximo de sua casa, por volta das 09h20 daquele dia. Na ocasião, ela estava sozinha.

Local onde corpo de ultramaratonista Camila Matte foi encontrado em Leme — Foto: Leme Digital

O casal estava estava em processo de terapia antes do ocorrido.

Até o momento, as informações obtidas junto aos legistas que examinaram o corpo indicam que não houve lesão característica de estrangulamento, fraturas ou ferimentos por arma branca.

A lesão provocada pelo fogo no rosto e nos membros inferiores da vítima indicam, segundo a polícia, que o líquido inflamável teria sido despejado por ela mesma.

Os investigadores pediram a quebra do sigilo bancário e telefônico de Camila. Durante a apuração do caso, a polícia descobriu que a ultramaratonista fez buscas na internet por termos como “álcool é inflamável?”.

Relembre o caso

Moradora da cidade de Leme, no interior de São Paulo, a ultramaratonista Camilla Matte, de 44 anos, foi encontrada morta nesta terça-feira (16). Ela estava desaparecida desde a manhã do último domingo (14). De acordo com a família dela, a atleta saiu de casa e iria almoçar com os pais, mas não chegou ao destino e não deu notícias.

De acordo com a polícia, o corpo foi localizado em uma zona rural do município com sinais de ferimentos provocados por fogo. O corpo estava próximo ao carro de Camila, em uma estrada de terra em Leme. Dois frascos de álcool foram apreendidos. Dentro do veículo havia objetos pessoais da vítima.

Continua após a publicidade

Camila estava em um automóvel Gol cinza, placa FDO-2699, e iria para São Carlos, também no interior paulista, que fica a cerca de 90 quilômetros de Leme.

A Polícia Civil informa que Peterson Cesar Malachias, 48, marido da atleta, relatou que o casal havia tido uma briga em casa.

(Com informações de Ricardo Missão)

 Quer ficar ligado em tudo o que rola em Pirassununga e região? Siga o perfil do jornal O Movimento no Instagram e também no Facebook.

(É proibida a reprodução do conteúdo deste website em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do jornal O Movimento


Postagem Anterior Próxima Postagem