Jornal O Movimento

Solstício de verão acontece na próxima sexta (22); veja o que esperar

O solstício de verão marca o dia mais longo de cada ano - © Vito Technology, Inc.

Com início o verão no Hemisfério Sul na próxima sexta-feira, 22 de dezembro de 2023, os astrônomos calculam cuidadosamente o solstício de verão, com o dia mais longo e a noite mais curta do ano.

O solstício ocorre no momento em que o Hemisfério Sul experimenta seu pico de exposição solar. É um momento com dia, hora, minuto e segundo calculados pelos astrônomos e está relacionado com o movimento da Terra ao redor do Sol.

A data marca o auge do verão, representando não apenas um evento astronômico, mas também influencia diretamente as condições de luz e temperatura em diversas regiões.

No dia 22 de dezembro de 2023, às 00h27 (horário de Brasília), o Hemisfério Sul experimenta o solstício verão, de acordo com o Climatempo.

Confira abaixo curiosidades e impactos da data no seu dia a dia:
  • “Sol parado”
O termo “solstício” deriva do latim e significa “sol parado”. Embora, astronomicamente, o sol não esteja parado, a posição aparente na superfície terrestre permanece relativamente constante alguns dias, antes e depois do solstício de verão.

Esse é o momento que o sol atinge seu ponto mais alto no céu e, em seguida, começa a se mover para baixo. Isso significa que o Sol fica mais alto e os dias são mais longos.
  • Nascer do sol
O impacto do solstício é evidente nas mudanças de horário de nascer e pôr do sol. As variações dependem da localidade da cidade em relação à inclinação da terra.

Quanto mais ao Sul do continente, maior a influência do solstício de verão no nascer do sol no Hemisfério Sul.

No Sudeste, por exemplo, o Sol nasce 1 hora e 20 minutos mais cedo do que em 20 de junho de 2023, no solstício de inverno.

Em algumas cidades da América do Sul, como Ushuaia, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Belém, as horas de luz do dia variam significativamente no dia 22 de dezembro de 2023.

No Ushuaia, na Argentina, o Sol nasce às 4h51 e, em Belém do Pará, às 6h06 - de acordo com o Climatempo. Cerca de 1h15 de diferença.

  • Dia mais longos
O solstício de verão é o dia mais longo do ano em um hemisfério e, depois, começam a ficar gradativamente mais curtos. Isso significa que os dias são maiores até o final do ano.

A duração do dia é determinada pela inclinação do eixo da Terra em relação à órbita do Sol. Durante o solstício de verão, o Hemisfério Sul está mais inclinado para o Sol do que em qualquer outro dia do ano. Isso significa que o Sol fica mais alto no céu e os dias são mais longos.

Depois do solstício de verão, o hemisfério que experimentou o solstício começa a se inclinar para longe do Sol. Isso significa que o Sol fica mais baixo no céu e os dias começam a ficar mais curtos.

  • Menor sombra
O solstício de verão também é conhecido como o dia com a menor sombra do ano, às 12h.

Isso pode parecer uma contradição, tendo em vista que é o momento de maior inclinação da Terra em relação ao Sol.

Mas o fenômeno acontece porque os raios solares incidem mais verticalmente sobre a superfície da Terra, ou seja, com menor declínio. Dessa maneira, objetos na superfície da Terra projetam sombras mais curtas.

Continua após a publicidade

No solstício de verão, ao meio-dia, o Sol está em seu pico, resultando em um ângulo mínimo entre os raios solares e os objetos no solo. Isso faz com que as sombras sejam minimizadas.

  • Diferença de temperatura
Em algumas localidades, a diferença de temperatura entre o solstício de verão e o solstício de inverno pode ser significativa. Isso ocorre porque a duração do dia impacta diretamente a temperatura climática.Por exemplo, em Nova York, a temperatura no solstício de verão varia uma média de 27,8º em comparação com o solstício de inverno. Quanto mais perto dos extremos Sul ou Norte, maior a variação dos termômetros na Terra.Como o Brasil é um país tropical, próximo a linha do Equador, o impacto não é tão significativo, mas não deixa de ser percebido.

Atenção! Isso não significa que o solstício de verão é o dia mais quente do ano, tanto no Hemisfério Norte quanto no Hemisfério Sul.

Isso ocorre porque a temperatura é influenciada por outros fatores, como a umidade do ar, a nebulosidade e a presença de ventos.

O dia mais quente do ano no Brasil geralmente ocorre durante o verão, que vai de dezembro a março. No entanto, a data exata pode variar dependendo da região do país.

Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, o período mais quente geralmente ocorre entre dezembro e fevereiro. Janeiro é frequentemente apontado como o mês mais quente, ou seja, após o solstício de verão.

  • “Sol da meia noite” no Ártico
O solstício de verão marca o início da temporada do sol da meia-noite no Ártico. O fenômeno dura cerca de seis meses, de abril a setembro. Durante esse período, o sol permanece acima do horizonte por 24 horas por dia em qualquer lugar dentro do Círculo Polar Ártico.

No entanto, o sol da meia-noite é mais intenso no período do solstício de verão, sendo percebido em outras regiões fora do Círculo Polar Ártico.

Por volta do dia 20 de março, na transição entre o verão e o outono, os fatores se invertem e as noites começam a se sobrepor ao dia. Isso ocorre também no polo norte.

  • Festividades
O solstício de verão é um evento importante para muitas culturas até hoje. O festival de Midsummer, realizado em países nórdicos - como Suécia, Noruega e Finlândia - celebra a data com danças, festas ao ar livre e acendimento de fogueiras.

No passado, o evento era usado como marcador para o início de determinadas atividades agrícolas, influenciando o plantio e a colheita. A data também foi importante para preservar e transmitir tradições ao longo dos séculos.

Quer ficar ligado em tudo o que rola em Pirassununga e região? Siga o perfil do jornal O Movimento no Instagram e também no Facebook.

(É proibida a reprodução do conteúdo deste website em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do jornal O Movimento


Postagem Anterior Próxima Postagem