Jornal O Movimento

Funcionários dos Correios marcam greve às vésperas da Black Friday

Às vésperas da Black Friday 2023, funcionários dos Correios podem entrar em greve em diversos estados do país. Foto: Divulgação

Funcionários dos Correios em São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins e Maranhão devem paralisar as atividades nesta quinta-feira (23/11), às vésperas da Black Friday.

A greve, por tempo indeterminado, foi convocada pela Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios e reivindica mudanças no acordo coletivo assinado com a estatal.

Segundo a entidade, a categoria tem sido prejudicada por 26 pontos do acordo, como a não incorporação de R$ 250 ao salário base. O grupo também cobra a realização de um concurso público e melhorias nos planos de saúde.

A confirmação da paralisação será feita em assembleias nos sindicatos filiados à federação nesta quarta (22/11) e quinta-feira (23/11).

Continua após a publicidade

Em São Paulo, a assembleia foi marcada para 18h desta quinta. Segundo o sindicato paulista filiado à federação, os quatro estados que votarão a paralisação representam 60% do fluxo postal de cartas e encomendas de todo o país e somam 40 mil trabalhadores. Só na capital paulista são 13 mil servidores.

O que dizem os Correios?
Em nota, a estatal reforça que as operações estão normalizadas em todas as agências do Brasil e que caso as assembleias decidam pela paralização, já possuem medidas emergenciais para manter os serviços ativos. “Entre elas: contratação de mão de obra terceirizada, realização de horas extras, deslocamento de empregados entre as unidades e apoio de pessoal administrativo”.

Antes do anúncio da greve, a estatal tinha divulgado uma operação especial para o público durante a Black Friday, com redução no tempo de entrega de encomendas.

Quer ficar ligado em tudo o que rola em Pirassununga e região? Siga o perfil do jornal O Movimento no Instagram e também no Facebook.

(É proibida a reprodução do conteúdo deste website em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do jornal O Movimento


Postagem Anterior Próxima Postagem