Jornal O Movimento

Prefeituras de Porto Ferreira e Pirassununga proíbem a “descida de boia” devido à cheia do rio Mogi-Guaçu

 Tradicional passeio de bóias no rio Mogi-Guaçu, entre os trechos de Cachoeira de Emas e Porto Ferreira. © Reprodução/Felippe Antonio

As Prefeituras de Porto Ferreira e Pirassununga informaram o fechamento das áreas públicas em ambos os municípios, onde, tradicionalmente, ocorrem no último sábado (28) do mês de janeiro o evento “Descida de Boia”, no rio Mogi-Guaçu. 

O motivo é o  nível elevado do rio Mogi-Guaçu, devido às chuvas constantesEm Pirassununga, local de partida, a área fechada é a região da “Prainha”, no distrito de Cachoeira de Emas. Em Porto Ferreira, local de chegada, na Área de Lazer João Ferreira.

 Em 2021 e 2022, também devido à pandemia, já não houve a tradicional descida. 

Continua após a publicidade


Descida de Boia
O evento, que também é chamado por muitos de “Boia Cross”, tem o início do percurso na prainha de Cachoeira de Emas, distrito de Pirassununga e termina nas escadarias da Ponte de Velha de Porto Ferreira, onde no final do Século XIX funcionava o sistema de navegação fluvial para o transporte do café que fez nascer o município.

Mais de mil pessoas costumam desafiar as águas do Mogi entre Pirassununga e Porto neste que é um dos maiores e mais tradicionais eventos náuticos da região.

Os aventureiros em boias, embarcações improvisadas e barcos a motor desafiam os cerca de 17 quilômetros rio abaixo. A saída geralmente ocorre por volta das 8h e a chegada dos navegantes sempre acontece após o meio-dia. Mas a velocidade depende da força da correnteza.

Aventureiros de toda a região participam do evento. O passeio é realizado desde 1994 e tem, como principal objetivo, a valorização e a preservação do rio e da natureza. 

Postagem Anterior Próxima Postagem