Jornal O Movimento

Dia Nacional do Fusca: relembre a história de um dos carros mais queridos do Brasil

Volkswagen Fusca foi fabricado no México até 2003 e conquistou mais de 20 milhões de unidades vendidas mundo afora. Crédito:Felipe Rau/Estadão

O Dia Nacional do Fusca está sendo celebrado nesta sexta-feira, 20 de janeiro, para homenagear um dos carros mais icônicos de todos os tempos.
 O fusca, o simpático carrinho com design inconfundível, em formato de besouro, foi o modelo mais vendido do país por 23 anos seguidos — de 1959 a 1982. 

Ele começou a ser fabricado na Alemanha, com o nome de Volkswagen Sedan, logo depois da 2ª Guerra Mundial, em 1945. No Brasil, a Volkswagen oficializou a data de 20 de janeiro de 1959 como o início da produção na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. E é por isso que o 20 de janeiro passou a ser o Dia Nacional do Fusca.

Embora tenha saído de linha definitivamente há quase 30 anos, o “besouro” ainda reúne uma legião de entusiastas. Conheça a seguir um resumo da história do Fusca no Brasil.

A história do Fusca teve início em 22 de junho de 1934, data em que Ferdinand Porsche assinou um contrato com a Associação Nacional da Indústria Alemã para a produção de um carro robusto e barato. A ordem para o desenvolvimento desse carro foi dada por ninguém menos que o ditador Adolf Hitler (1889-1945), que queria impulsionar a indústria alemã com a oferta de um veículo popular que fosse capaz de levar uma família e que tivesse um motor arrefecido a ar capaz de levá-lo aos 100 km/h.

A história do Fusca no Brasil
© Arquivo/Volkswagen

Antes de ser nacionalizado, em 1959, o Fusca teve cerca de 2.200 unidades montadas com peças importadas da Alemanha na antiga fábrica da Volkswagen, no bairro do Ipiranga, em São Paulo.

O primeiro Fusca produzido no país com peças nacionais saiu da antiga fábrica da Volkswagen no bairro do Ipiranga, em São Paulo, no dia 3 de janeiro de 1959. Na época, o grande desafio da fabricante era atingir o índice mínimo de 54% de nacionalização exigidos por lei devido à escassez de fornecedores locais.

© Arquivo/Volkswagen

Em seu ano de estreia, o Volkswagen Fusca nacional vendeu 8.406 unidades. O modelo era equipado com o motor de 1.2 litro de quatro cilindros opostos (boxer), refrigerado a ar e que gerava apenas 36 cv. Combinado a um câmbio de quatro marchas, o propulsor permitia ao Fusca atingir a velocidade máxima de 110 km/h.

Primeiro Fusca foi da Família Matarazzo
O primeiro Fusca nacional foi comprado no dia 7 de janeiro de 1959 pelo empresário Eduardo Andrea Matarazzo, que adquiriu o carro em uma concessionária no bairro de Santo Amaro, em São Paulo. O primeiro dos 29 Fuscas comprados pela abastada família Matarazzo custou 471.200 cruzeiros, o equivalente a mais de R$ 200 mil em valores atualizados.

© Arquivo/Volkswagen

Desde então, o Volkswagen Fusca fez parte da história de milhões de brasileiros. Foram cerca de 3,3 milhões de unidades produzidas no Brasil entre 1959 e 1986, marca que o colocou na liderança do mercado nacional durante 24 anos. O posto de carro mais vendido do Brasil foi perdido para o Gol somente em 1987.

Fusca "ressuscitou" a pedido de presidente
A produção do Fusca na fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), chegou a ser retomada entre 1993 e 1996, a pedido do então Presidente da República Itamar Franco (1930-2011). Mas o “Fusca Itamar” não fez o sucesso esperado devido à concorrência dos famigerados “carros populares”, que eram mais modernos e tinham preços mais competitivos que o Fusca.

© Arquivo/Volkswagen

O Fusca vendeu mais de 21,5 milhões de exemplares em todo o mundo. O México foi o último país a encerrar a fabricação do modelo, na fábrica de Puebla, em 2003 (foto acima).

As edições modernas do Fusca, conhecidas como New Beetle e Novo Fusca, também tiveram produção mexicana, finalizada em 2019 com uma série especial vendida apenas nos Estados Unidos.
Postagem Anterior Próxima Postagem