Jornal O Movimento

Petrobras reduz preços do diesel e da gasolina a partir desta quarta

Abastecimento em posto de gasolina. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Petrobras anunciou uma redução no preço médio de venda do diesel e da gasolina a partir desta quarta-feira (7). Conforme informado pela estatal, o preço médio da gasolina nas distribuidoras terá uma redução de R$ 0,20 por litro, já para o diesel a redução será de R$ 0,40.

Atualmente o valor da gasolina nas distribuidoras é de R$ 3,28, dessa forma, teremos uma redução para R$ 3,08, ou seja, uma queda de 6,1% no preço do litro. Já o diesel vendido a R$ 4,89 passará para R$ 4,49, ou seja, uma redução e 8,2%.

A última vez que a gasolina passou por reajuste ocorreu no dia 2 de setembro, quando naquele período o preço médio do combustível sofreu sua última redução de R$ 3,53 para R$ 3,28.

Já para o diesel, o mesmo foi alterado pela última vez no dia 20 de setembro, quando também sofreu uma redução, passando de R$ 5,19 para R$ 4,89 o litro vendido às distribuidoras.

Segundo a companhia, “essas reduções acompanham a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”.

Novo governo quer mudar política de preços da Petrobras

O senador eleito Wellington Dias (PT-PI), coordenador dos ajustes no orçamento de 2023 na equipe de transição, afirmou ainda que o governo eleito deverá mudar a política atual de preços da Petrobras.

Atualmente, os preços que a Petrobras cobra no nosso mercado possuem variação conforme a cotação do petróleo no mercado internacional e, consequentemente, com a taxa de câmbio. Vale lembrar que os preços internacionais são cotados em dólar.

Dessa forma, toda vez que o preço do petróleo muda no mundo, ou quando a cotação do dólar sobe, o preço dos combustíveis no país também acaba subindo e impactando o consumidor interno.

Logo, segundo o senador, a ideia será de considerar, em vez das variações do petróleo no mercado externo e do dólar, o preço médio de refino no Brasil, assim como no exterior.

Optando por essa alteração, em tese, o preço dos combustíveis para os consumidores deve se tornar mais baixo do que no modelo atualmente adotado.

Postagem Anterior Próxima Postagem