Jornal O Movimento

Tarcísio de Freitas é eleito governador de São Paulo

Tarcísio de Freitas, candidato ao governo de SP pelo Republicanos — Foto: Fábio Tito/g1

O ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) foi eleito governador de São Paulo.
Com 89,87% das urnas apuradas, ele marcou 55,42% dos votos e não pode mais ser ultrapassado pelo ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), que está com 44,58 dos votos. 

A disputa entre os dois contou com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL) de um lado e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do outro. A eleição no estado é histórica, pois é a primeira vez em 28 anos que o Palácio dos Bandeirantes não será ocupado por um representante do PSDB.

O resultado refletiu o primeiro turno, que terminou com Tarcísio com 42,32% dos votos e Haddad com 35,70%. No primeiro turno, Tarcísio teve 9,8 milhões de votos e Haddad 8,3 milhões.  A vitória de Tarcísio também já tinha sido apontada pelos principais institutos de pesquisa do país, apesar de dentro da margem de erro. O último levantamento do Datafolha, divulgado no sábado (29/10), mostrou o ex-ministro de Bolsonaro com 53% e o petista com 47%. Já a pesquisa do Ipec, também divulgada no sábado, indicou Tarcísio com 52% contra 48% de Haddad. 

Maior colégio eleitoral do país com 34,6 milhões de eleitores, São Paulo desperta grande interesse dos dois candidatos à Presidência da República. Tanto Lula, quanto Bolsonaro se dedicaram nas semanas que antecederam o segundo turno a aproveitar o palanque de seus candidatos ao governo para angariar votos. 

Quem é Tarcísio de Freitas 
Ex-ministro da Infraestrutura durante o governo Bolsonaro, Tarcísio é estreante em eleições. Ele tem 47 anos, é engenheiro civil e militar da reserva. Antes de ser ministro, ele foi diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no governo Dilma Rousseff (PT). No órgão, ele assumiu a Coordenação de Projetos da Secretaria Especial do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), responsável pelo programa de privatizações, concessões e desestatizações. Em 2018, ele foi escolhido pelo então presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir a pasta da Infraestrutura. Ele deixou o cargo em 2022, quando se filiou ao Republicanos para concorrer ao governo de São Paulo.  
Postagem Anterior Próxima Postagem