Jornal O Movimento

Empresário envolvido em acidente com seis mortos na SP-344 é indiciado por três crimes

Fábio Lemes Romualdo (à esq.), Jorge Batista Bovolenta, Rafael Aparecido Ribeiro, Irene Leme, Bruna Aparecida Veiga e Ana Paula Lemes morreram no acidente em São João da Boa Vista (SP) — Foto: Arquivo pessoal

O delegado Guilherme Risso Teodoro, informou que o empresário, 
Pedro Dutra Neto, de 36 anos, preso após se envolver em um acidente que deixou seis pessoas de uma família mortas em São João da Boa Vista (SP) na manhã deste domingo (9) foi indiciado por embriaguez ao volante, homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e porte ilegal de arma.

O veículo das vítimas, uma Parati, foi atingido na traseira por um SUV no km 226 da Rodovia Dom Tomás Vaquero (SP-344), que liga a cidade à Vargem Grande do Sul.

O carro da família foi arrastado por cerca de 200 metros e pegou fogo em seguida. Segundo a Polícia Rodoviária, cinco pessoas morreram carbonizadas.

Acidente no interior de São Paulo deixa seis mortos; Empresário que causou a colisão sofreu ferimentos leves - Foto: Reprodução/EPTV
A outra vítima, a sexta, chegou a ser socorrida em estado gravíssimo e encaminhada ao Pronto-Socorro da Santa Casa de São João da Boa Vista, mas também não resistiu aos ferimentos.

O empresárioque dirigia o SUV, foi preso. Ele relatou em depoimento que voltava de uma confraternização de São José do Rio Pardo quando aconteceu o acidente em São João da Boa Vista.

Acidente na SP-344 matou seis pessoas em São João da Boa Vista (SP) — Foto: Poliana Rodrigues/EPTV
Guilherme Risso Teodoro, delegado do caso e os policiais rodoviários que atenderam a ocorrência constataram sinais identificadores de embriaguez. Foi oferecido o teste de etilômetro, mas o empresário recusou.

Além disso, a Polícia Rodoviária encontrou dentro do carro que ele dirigia, uma garrafa de vodca e uma pistola na maleta com munições.

Em entrevista à EPTV, afiliada da TV Globo, o delegado do caso, disse que o empresário fazia transporte irregular do armamento.

“Nós verificamos que ele possui o CAC (colecionador de armas, atirador desportivo e caçador) para transporte, mas ele não estava indo ao clube de tiro, então estava em um transporte irregular de arma de fogo”, disse Teodoro.

O delegado acrescentou que por conta dos agravos, o empresário foi indiciado por seis homicídios e outros dois crimes.

“Devido a esse conjunto identificado pelos policiais rodoviários, constatou-se que realmente ele estava embriagado, inclusive podemos imputar a conduta da embriaguez não só pelo bafômetro. A partir do momento que ele se recusa, e os policiais verificam o conjunto ali, está comprovado, há indícios da embriaguez, onde foi possível indiciar ele por seis vezes no homicídio culposo na direção de veículo automotor com a qualificadora de embriaguez”, relatou o delegado.

Alisson Garcia Gil, advogado do empresário, disse ao portal G1, que o cliente não bebeu e que ficou abalado com o acidente.

"Ele contou que a família morava em um sítio próximo à rodovia e teria entrado na pista de uma vez, não deu tempo de desviar e acertou a traseira do veículo. Agora vamos aguardar a audiência de custódia", disse.

Empresário Pedro Dutra Neto, de 36 anos, envolveu-se em uma acidente que deixou seis mortos em São João da Boa Vista (SP) — Foto: Paulinho Chiari/EPTV
Ainda de acordo com o delegado, antes deste, o empresário já se envolveu em outros três acidentes. Em 2010, ele perdeu o controle do veículo e caiu em uma ribanceira. Além dele, havia mais duas pessoas no carro e uma morreu.

No ano de 2015, o empresário se envolveu em um acidente com vítima em São José do Rio Pardo. Em 2019, aconteceu o mesmo em São João da Boa Vista.

As vítimas
Ana Paula Lemes, de 2 anos, Rafael Aparecido Ribeiro, de 12, Bruna Aparecida Veiga, de 32, Fábio Lemes Romualdo, de 40, Irene Lemes, de 60 e Jorge Batista Bovolenta, de 68.

De acordo com relatos de familiares, as vítimas família seguiam para pegar um ônibus de excursão para um passeio da igreja católica em Tambaú (SP).

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de São João da Boa Vista. O velório e o enterro ocorreu na manhã desta segunda-feira.
Postagem Anterior Próxima Postagem