Jornal O Movimento

Após tomar chá para emagrecer, mulher morre de hepatite fulminante

Mara Abreu, enfermeira, morreu após um transplante de fígado no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma mulher que foi internada no Hospital das Clínicas depois de tomar cápsulas de um suposto chá “emagrecedor” morreu nesta quinta-feira (3). Mara Abreu era enfermeira e, segundo o G1, faleceu na quinta-feira (3) após seu corpo rejeitar um transplante de fígado.

+ Veja mais noticias no jornal O Movimento

A médica Liliana Ducatti, gastroenterologista do HC, usou as redes sociais para fazer um alerta sobre esse tipo de chá. Mara teve uma hepatite fulminante após tomar um chá de 50 ervas. 

O produto, vendido em cápsulas, se dizia "natural" e, na composição, continha ervas como chá verde, carqueja e mata verde, substâncias hepatotóxicas, que podem causar danos ao fígado. Foto: Reprodução

“Nós recomendamos não fazer o uso desse tipo de medicação: chá que desincha, chá detox, natural, erva… Não faça uso, desaconselhe as pessoas que você conhece. Isso tudo é charlatanismo e são descritos como hepatotóxicos, fazem mal para o fígado sim e podem levar à necessidade de um transplante de fígado”, afirmou a médica. 

Liliana diz que na literatura médica há casos semelhantes ao da paciente do HC. “E tudo isso por causa de uma medicação que poderia ter sido evitada, um falso remédio para emagrecer, uma falsa ilusão de que é natural e não tem problema. Tem problema sim”, disse ela em 24 de janeiro.

Todo o conteúdo do jornal digital O Movimento é protegido pela legislação de propriedade intelectual e só poderá ser reproduzido mediante autorização expressa. 

Se tiver interesse em utilizar textos, vídeos ou fotos  publicados no jornal O Movimento, por favor entre em contato com o departamento comercial para adquirir direitos autorais: [email protected]

Postagem Anterior Próxima Postagem